quinta-feira, 29 de outubro de 2009

perda insana

Um pequeno outdoor, daqueles que se colam em muros, continha o seguinte anúncio: “Perdeu seu amor? Trazemos de volta pra você. Pagamento após resultado. Tel ...”

Se aquele anúncio existe com certeza há demanda.

Como será alguém que busca este tipo de “serviço”? Que se dispõe a pagar para que seja feito um “trabalho” espiritual pra que tenha de volta um amor que partiu. Sou uma ignorante a respeito desses assuntos, não faço a menor idéia de como se realiza isso. E na verdade, prefiro continuar assim.

O que ma faz pensar é sobre o “cliente”.

Ninguém gosta ou fica feliz quando alguém que se ama, por alguma ou nenhuma razão, não te ama mais, não quer mais uma relação.

Dói. E dói muito.A gente se sente rejeitado, desamparado, sem chão. E essa dor custa um bocado a passar. Nossa fantasia, e desejo, muitas vezes inconfessável, é de que o outro vai se arrepender, vai dar outra chance, vai voltar a nos amar como antes.

Mas pode não ter esse final feliz que se espera. E ser mesmo o fim.

Que sentimento é esse que recorre ao “sobrenatural” pra apagar esse The End da tela de seus quadros mentais? Posse, orgulho, onipotência. Qualquer coisa menos amor.

Quantas monstruosidades cometidas sob a justificativa do amor...

Amor é liberdade, é respeito. Nenhum amor floresce, nem mesmo sobrevive às prisões que cerceiam a alma, que pretendem acorrentar sentimentos.

A perda é algo inerente à tudo. Aceita-la talvez seja o único caminho capaz de impedir a maior de todas as perdas: a de si mesmo, da sua mínima lucidez.

delicie-se com essa música linda

nesse arranjo especial:

2 comentários:

Paulo Genz disse...

almas acorrentadas por trabalhos , realmnte quem procura esse tipo de coisa é uma piada ambulante , muito bom seu texto . abraço

Solange Maia disse...

Belo texto Carla !

Assinaria embaixo !

O amor é livre... só assim se mantém, pela liberdade, inclusive de partir...

Beijossssssss

"Coração mistura amores. Tudo cabe."