sexta-feira, 23 de outubro de 2009

impermeáveis

Outro dia lendo a coluna semanal da Eliane Brumm no site da revista Época, tive interesse de ler os comentários.

Sempre gosto de observar como as pessoas reagem ao que foi exposto pelo autor, acrescenta riqueza ao texto. Outros olhares, outras abordagens, exemplos reais relacionados ao que foi dito...acho bacana.

Por outro lado me chama a atenção as manifestações radicais e até agressivas de alguns que discordam da autora. Já dizia Nelson Rodrigues que a unanimidade é burra.

As diferenças, discordâncias, opiniões absolutamentes contrárias são apenas aquilo que são: modos diferentes de pensar sobre o mesmo tema. Ponto.

Expor esses pensamentos, argumentar, defender seus pontos de vista, ok, nada mais justo e democrático. A força da agressividade e os ataques, por vezes até chegando às ofensas são atitudes próprias dos tiranos, ditadores que como a palavra sugere querem ditar, infligir as dores no outro.

Ocorre que algumas pessoas são impermeáveis, e impenetráveis. Lisas. Rasas.

Não tem um mínimo de capacidade de aprofundar-se em nada e nada consegue penetrar nessa superfície. Fúteis.

Passam toda uma vida sem vive-la, andando à margem, ao largo.

Não compreendem a intensidade das emoções, o significado das relações afetivas, não se arriscam a perder e portanto também nada ganham.

São incapazes de se colocar no lugar do outro, de ter empatia, de se doar.

Rasas. Vazias.

É uma pena. Não sabem o quanto estão perdendo...

Um comentário:

sthephany brunelli disse...

Interessante a Maneira como classifica as tais pesssoas ''impermeaveis' de futeis.. Eu usaria o termo sociopata mas seu post é bem claro e faz pensar !
Sublime ..!!


abraços

"Coração mistura amores. Tudo cabe."